Formado por Mura, Xaras e DDDBeats, Doxa Rap é um grupo originado de Feira de Santana, com produção independente, a Gruta Records e o diferencial deles é a valorização e visibilidade do beatmaker.


Tivemos o prazer em entrevista-los:

VANDALIZE: Porque o nome Doxa?

Esse nome tem vários significados, ao longo do tempo esses significados receberam modificações, mas em relação ao conceito que o grupo utiliza é a crença em comum de seus integrantes para com uma visão compartilhada do mundo a nossa volta.

VANDALIZE: Como surgiu o grupo?

O grupo surgiu através das rodas de Freestyle em Feira de Santana, após os integrantes Aka Mura e Xaras se conhecerem e se identificarem com as idéias e visões pessoais de cada um, foi aí que nasceu o DOXA, já tivemos outras formações com alguns singles dessa época lançados no YouTube, mas a atual formação conta com 2 MCs e nosso beatmaker DDD que chegou pra somar recentemente.

VANDALIZE: Vocês tem noção que são poucos grupos que valorizam e dão visibilidade ao produtor, como vocês fazem colocando ele como parte do grupo, nas fotos e etc. Como vocês veem essa desvalorização? essa relação?

Essa desvalorização é algo que não deveria existir, até porque o produtor é peça chave dessa engrenagem, afinal o MC não rima sem o beat, o grupo deve ser representado com todas as peças e o entrosamento entre todos deixa o trabalho mais afiado.

VANDALIZE: Vocês vêm de um município do estado da Bahia. Vocês veem nisso uma dificuldade de expandir os trabalhos?

Entre as dificuldades que encontramos essa é só mais uma, mas sim, vir de uma cidade do interior onde o público é mínimo torna mais difícil essa expansão, apesar do nosso reconhecimento ter crescido muito nesse último ano.

VANDALIZE: Como é a cena em Feira de Santana?

A cena do Hip-Hop/Rap da cidade na questão dos grupos é bem versátil, tem do boombap sujo ao trap, e puxando pra outras vertentes dentro do rap também, mas não é uma cena bem articulada por conta da divisão que existe dentro do próprio movimento, isso dificulta um pouco a crescer como um todo sabendo das dificuldades que já são de praxe, como um público pequeno e não existir um mercado voltado para o rap.

VANDALIZE: como é fazer música de forma independente na Bahia?

Tem suas dificuldades mas te deixa livre pra fazer o que você acredita e gosta, muitas vezes os artistas são coagidos pelas produtoras a seguir outros caminhos que não são de sua vontade, não foi o nosso caso mas nossas experiências com produtoras não somaram muito, chegou um tempo que tivemos que decidir ser independentes ou travar na caminhada.

VANDALIZE: Como é a relação e visão de vocês com o rap no seu bairro?

Não somos muitos conhecidos nos nossos bairros em si, mas um rolê pela cidade nós vemos um certo reconhecimento, algumas pessoas chegam pra falar do som, trocar uma ideia ou só dar aquele salve mesmo, é uma parada que a gente nem é muito acostumado mas vemos que isso tem um crescimento e é bom pra a valorização do artista local, sinal de que o som ta chegando na galera.

VANDALIZE: Deixa um recado para nossos seguidores, seus fãs, admiradores do trabalho de vocês e etc

Fiquem ligados que tamo trabalhando em cima dos lançamentos que virão, breve tem novidade na pista, sigam o doxa nas redes sociais @doxarap (Instagram, Facebook, YouTube).

Sempre sigam suas metas sem desfazer de ninguém que o resultado ta ai pra quem corre atrás, e a gente só tem a agradecer ai a quem curte o trampo e fortalece a caminhada!