Cibelle Araújo, 22 anos, 5 anos na pista, 3 anos formada em discotecagem, nascida e criada no subúrbio ferroviário de Salvador, Alto de Coutos, Bahia, essa é Dj Belle!

Com o Vandalize a resenha é garantida de fato!

VANDALIZE: Quem é Dj Belle pra Dj Belle?

DJ BELLE: Sou eu mesmo, não existe um personagem, o que eu sou no palco eu também sou fora dos palcos, até porque antes de ser DJ eu era público também, e levo essa essência comigo.

VANDALIZE: Como começou esse corre de Dj? Teve alguma influência?

DJ BELLE: Eu frequentava batalha de mcs e eventos de rap aqui em Salvador e no Rio de Janeiro, e ficava encantada, vidrada nos djs, a habilidade nos back to back, e quando faziam scratchs então, acabei me apaixonando. Tenho a honra de ser vizinha de um dos djs mais incríveis do Brasil, DJ Jarrão, e ele tinha acabado de abrir uma turma para aulas de discotecagens me inscrevi e no primeiro contato tive a certeza do meu amor pelos discos. Me formei com Jarrão, é hoje boto em prática todos os seus ensinamentos e busco também aprimorar, estudar novas técnicas, de outros estilos e equipamentos também.

VANDALIZE: Porque o bordão Plaw DjBelle?

DJ BELLE: Minha carreira começou nas batalhas de mcs em São Caetano, eu costumo dizer que São Caetano é o meu berço. As batalhas são realizadas pelo Coletivo São Caetano Resistência, ministradas pelo Mc Bruno Suspeito, do grupo A rua se conhece.
Para pedir para soltar o beat para os participantes batalharem, Bruno falava: “DJ Belle, Plaw!” Ou “Plaw, DJ Belle!”, e isso acabou viralizando, os moradores e frequentadores das batalhas começaram a usar o termo comigo, se espalhou para outros lugares da cidade e pegou.

VANDALIZE: Belle, você se destaca bastante no cenário de rap em Salvador, também por trabalhar com Contenção 33, Aurea e etc. Porém, você teve algumas participações na festa Batekoo e outras que são um pouco distante do rap. Tem alguma dificuldade pra você? Como você analisa suas participações lá. Conta pra gente como é essa experiência.

DJ BELLE: Quando me formei, eu optei por não me rotular a apenas um ritmo. Eu estudo música, e música não é só rap. Aceito todos os desafios e o que eu não souber eu corro atrás pra aprender. Ser DJ é uma função enorme, já teve evento que me pediram pra tocar até sertanejo, tem que tá pronto pra tudo. Tem que estar ligado ao público, eu analiso o público do evento antes de montar o set, pra saber o que vou tocar de forma que anime a todos.
A batekoo abriu as portas pra mim e serei sempre grata, foi onde desenvolvi meus primeiros sets de funk 150bpm e que é um dos meus maiores sucessos em eventos. Sigo estudando novos ritmos, e novidades.

VANDALIZE: Ser dj pra você é um hobby ou é algo que você quer levar pra vida como uma profissão?

DJ BELLE: É uma profissão que eu sinto prazer como se fosse um hobby. Nada melhor do que trabalhar com o que ama.

VANDALIZE: Sabemos que Dj é desvalorizado e gostaríamos que você deixasse um recado para as pessoas que talvez não saibam o real valor dessa profissão.

DJ BELLE: Acho que é desvalorizado por falta de conhecimento, ser DJ não é só chegar numa festa botar o pendrive e dar play, next. Todo DJ que é DJ sonha em ter um par de toca discos, mas é tudo muito caro, só uma pequena agulha é em torno de 200 reais. Todos os equipamentos são muito caros e de difícil acesso para quem mora aqui em Salvador, as vendas são todas online. Fora os cursos, que também são pagos. Fora as músicas de qualidade, que são compradas para ter uma qualidade melhor no set e passar para o público um som limpo. Fora o peso dos equipamentos, para transportar até o evento e levar de volta. Chegar cedo nos eventos para armar os equipamentos e ser o último a sair após a festa acabar, desarmando tudo. Ter conhecimento em todo tipo de ritmo, feeling pra equalizar graves, agudos, médios. Saber o tempo exato de cada música, para combinar com a próxima, treinos e treinos em casa para mostrar o melhor. Poucas pessoas sabem disso, e até produtores mesmos, que pede pro DJ tocar de graça sem nem pensar no custo que ele teve pra chegar até ali. DJ é a origem de tudo lá de tempos atrás, é quem faz a batida pro mc rimar, mas poucos lembram. Estudem e vejam como é importante valorizar o DJ.

 

Dj Belle nas redes: @plawdjbelle