por Karen Oliveira

Considerado o pai do Hip-Hop no Brasil, Nelson Triunfo teve sua trajetória registrada no documentário Triunfo, lançado em 2014. Filho de camponeses, Nelson Gonçalves Campos Filho nasceu na cidade de Triunfo, na Paraíba, e aos 16 anos pegou a estrada ao encontro da Black Music. Seus primeiros passos passaram pelos Bailes Black de Paulo Afonso, na Bahia, seguiram para Brasília e, por fim, São Paulo, onde se erradicou e fincou sua resistência.

Atento aos movimentos da cultura Black nos Estados Unidos, foi Triunfo quem impulsionou a ocupação de esquinas e ruas de São Paulo, como ponto de encontro das diversas expressões da cultura Hip-Hop. Com originalidade no estilo e personalidade, o dançarino, muitas vezes definido nos relatos do documentário como “estrambólico”, marcou uma identidade brasileira no movimento cultural brasileiro. Líder nato, ele foi fundamental para a resistência da cultura frente à repressão policial, mesmo com o acirramento imposto pela ditadura.

Nelson Triunfo. Foto: Divulgação.

Contado deste jeito, parece que as coisas seguem uma lógica e linearidade natural, mas não é bem assim, e é nisso que o documentário surpreende. Contado de uma forma leve e descontraída, com a narração de Thaíde, a trilha original do grupo Inquérito, e participações de figuras como Sandra de Sá, Criolo, os grafiteiros Os Gêmios, Xis, dentre outros, o filme vai do Soul ao Rap, com relatos surpreendentes e emocionantes.

Dirigido por Hernani Ramos e Caue Angeli, o documentário é um trabalho em colaboração do Governo do Estado de São Paulo, a Ancine, o Proac, o Canal Aberto Produções, o Onze:Onze Filmes e a Lente Viva Filmes. Vencedor do festival In-Edit Brasil 2014, o filme foi exibido na edição do evento em Barcelona, na Espanha, e também integrou a programação do festival internacional de documentários “É Tudo Verdade”.

Assista “Triunfo”:

https://vimeo.com/115718252