Grupo feminino composto por Brena Èlem e Udi Santos, “Visioonárias” atribuem ao seu rap a participação da diversidade cotidiana, a atuação da inclusão e a resistência irremediável da nossa luta. Com dois clipes lançados, e singles como “tem pra trocar” na boca do público, o grupo chega para fortalecer a participação das mulheres no cenário do rap baiano. Com posicionamento firme, Visioonárias abordam em suas composições questões políticas e raciais, tratam do machismo e da autoestima das mulheres. O Vandalize entrevistou essa dupla que “Chegou pra causar inflamação”.

VANDALIZE: Como surgiu o projeto “Visioonárias” e qual foi a inspiração do grupo?

VISIOONÁRIAS: O projeto surge em 2017, após o encontro das mc´s  Brena Èlem e Udi Santos, para realização de um projeto em comum. Visioonarias conta com inspiração mutua entre as mc´s que se admiram e reconhecem a força do trampo uma da outra.

VANDALIZE: Qual importância do som que vocês fazem para a quebrada onde vocês vivem? E qual seria essa quebrada?
VISIOONÁRIAS: O que cantamos trás a realidade, porem não só a parte ruim, temos o cuidado de mostrar em nossas letras o quanto somos fortes, o quanto a periferia é forte, então compartilhamos da vontade de trazer sempre perspectiva, e isso é de extrema importância para resistência do nosso povo. Viemos das quebradas de Tuarão/ Paripe (Udi Santos), Capelinha/ São Caetano (Brena Elem), cantando para todas as quebradas que o nosso som chegue.
VANDALIZE: Como é cantar a vivência partindo do ponto de vista feminino  incluindo todas as dificuldade do meio musical, do hip-hop e principalmente no ambiente social?
VISIOONÁRIAS: fazer rima é a parte mais facil já dizia EMICIDA, falar da nossa vivência é fácil, mudar o que achamos errado, é a batalha que ainda enfrentamos, ser mulher preta de periferia, já sabe né? GAMEOVER, escuta lá nosso single visionárias, as dificuldades do meio musical estão aí, os caras ainda dizendo que não tem mina, chamando o nosso trampo de rap feminino, como se fosse outra categoria de rap, mas na realidade estamos trampando com tanto foco, que acabamos não dando muito ibope para essas questões como costumamos dizer, não precisa deixar espaço, vamos chegar de qualquer forma. no âmbito social só criamos mais força a cada dia, mulheres empoderadas, realizando seus sonhos, sendo o que querem ser e incentivando que mais e mais possam fazer parte desse time.
VANDALIZE: O grupo visionárias rem grande representatividade na cena feminina do RAP BA até porque sofremos com a falta de mulheres nela. Na opinião de vcs, pq ocorre essa falta, seria opressão? E vocês sofrem algum tipo de repressão por serem mulheres e pelo que cantam?
VISIOONÁRIAS: Rsrsrs, temos representatividade na cena do Rap BR, sem saber que viria esta pergunta, respondemos ela na pergunta anterior. NÃO FALTA MULHER NA CENA, isso é desculpa para não divulgar e colocar as minas nas lines, a opressão existe, mas historicamente sabemos como as mulheres são fortes, olhem a cena e se atualizem em relação ao trampo de minas de SSA. Ao levar nossas letras a público assumimos o que falamos, consequentemente sabemos o que isso pode causar, mas se estamos nessa luta então, vamo ganhar (lembrança de crioulo ao escrever esta parte).
VANDALIZE: Na música vocês também falam de conspiração e largam algumas puchlines para atitude preconceituosas e prepotentes na cena do RAP. Vocês consideram a cena machista? Se sim, isso repercute na participação das mulheres na cena?
VISIOONÁRIAS: é obvio que a cena é machista, mas as minas tão pouco se lichando para o que os caras vão dizer, e é bem assim mesmo, chegando pra causar inflamação, vamos chegar de arrombada como diz Amanda Rosa, isso repercute pois a maior parte dos contratantes da cidade são homens, então… mas não estamos muito preocupadas com isso as minas como contratantes estão chegando forte e com um ótimo trabalho, os caras colocar as minas nas lines vai ser pura consequência pelo nosso trampo.
VANDALIZE: Nós vivemos  num lugar que apesar de ser a maioria negra, ainda temos q lidar com o racismo. No single dona Chica, vocês trazem essa realidade, como surgiu a ideia de atrelar a cantiga infantil ao tema abordado?
VISIOONÁRIAS: o single Dona Chica é um grito: PAREM DE NOS MATAR, somos maioria, porem viemos de uma história esmagadora, onde suas marcas não saíram da gente em nenhum momento, atrelar a linha a cantiga foi um feeling que a vida presenteou e que deu muito certo (beat de Henry mc juntamente com a gente na contenção dessa produção musical).
VANDALIZE: No rap ocorre diversos julgamentos contras as mulheres, alegando preconceituosamente a nossa suposta escassez de conteúdo.
Que mulheres só falam de feminismo. Que mulheres se vitimizam.
Qual a opinião de vocês sobre isso?

VISIOONÁRIAS: difícil entender, ao mesmo tempo que diz que não tem mulher na cena, dizem que as mulheres falam de mais de um certo tema. han? como assim? tem algo errado nessa matemática. As minas vão cantar o que quiserem cantar em qualquer momento, parem de tentar limitar, e só esperem sair nosso som ” as de visão” ou colem no show para conferir quando ecoamos assim: AGORA NADA CALA A VOZ DAS DE VISÃO. até por que se o assunto vem se repetindo é porque esta vivo “como narrar flor, se o sistema opressor faz questão de expor sua ira contra minha cor  – Dark mc”.

VANDALIZE: Vocês participaram da programação do Carnaval de Salvador esse ano.Foi a primeira vez? Como foi essa experiência?
VISIOONÁRIAS: tivemos o prazer de sermos convidadas pelo DJ Tau, estivemos pela primeira vez nessa programação, foi o primeiro carnaval do tempo de vida de visioonárias, então para gente foi muito importante, mais importante ainda receber a energia da galera que foi simplesmente FODA.

VANDALIZE: Acompanhamos vcs nas redes e queríamos saber. Tem coisa nova por vir? Parceirias? Pode nos dar um spoiler?
VISIOONÁRIAS: o que não faltam são novidades, temos vários sons pra lançar, mas sabe como é carreira independente né, todo o trampo que estão vendo não é nada mais nada menos do que o esforço de 3 pessoas que acreditam muito no trampo, Udi Santos, Brena Elem e GAMP nosso produtor geral, fazemos acontecer , não é a toa que com 8 meses de vida visioonarias é convidada para fazer show fora do estado, estávamos em Aracaju-Se no mês de maio, passando pelo interior da Bahia, cachoeira sentiu nossa energia, e os trabalhos continuam, esperamos o quanto antes lançar outro clipe.